Justica constitucional e juiz ativ(o)(vista) como dever em matéria ambiental

Autores

  • Rogério Montai de Lima TJRO

Palavras-chave:

JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL, ATIVISMOS, OMISSÃO LEGISLATIVA, DIREITOS FUNDAMENTAIS, MEIO AMBIENTE

Resumo

No Estado Constitucional a supremacia da Constituição Federal coloca o órgão incumbido da jurisdição constitucional em um papel destacado e diferenciado e o Poder Judiciário é chamado para resolver questões que envolvam implementação de política pública a questões sociais, inclusive ambientais. Assim, é exigível do Judiciário, em alguns casos, impor determinadas condutas, desde que afinada com direitos fundamentais, de interesse coletivo e políticas públicas diretamente decorrentes do texto constitucional, pois traduz-se em dever do Estado, do qual o Judiciário é poder/ função precípua. É preciso assegurar a credibilidade das instituições públicas, em especial do Poder Judiciário, quanto à visibilidade e transparência de seus atos, diretamente relacionados com a adoção tempestiva de medidas adequadas e eficazes associadas à base empírica concreta do texto constitucional, tais como a preservação do meio ambiente, dos direitos humanos e fundamentais. Não se pode permitir, após uma história de lutas pela igualdade das partes e dos poderes, onde ditaduras foram prostradas pelo anseio de uma justiça idônea, retroceder-se a ponto de permitir que iniqüidades emanem de quem tem o dever de assegurar o justo, sobretudo, para deixar equilíbrio para presentes e futuras gerações.

Íntegra do Artigo

 

Publicado

12/17/2021

Como Citar

MONTAI DE LIMA, R. Justica constitucional e juiz ativ(o)(vista) como dever em matéria ambiental. Revista da Emeron, Porto Velho/RO - Brasil, n. 29, 2021. Disponível em: https://periodicos.emeron.edu.br/index.php/emeron/article/view/131. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Resumos - AMBRO

Categorias